Curitiba, 1 de Abril de 2019

Prefeito de Curitiba censura peça crítica ao presidente Jair Bolsonaro

Imagem: FB do coletivo

Imagem: FB do coletivo

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), veta a exibição da peça ‘A Mulher Monstro’ da SEM Cia. de Teatro, que aconteceria no Memorial ao longo do Festival de Curitiba e que critica o presidente Jair Bolsonaro [1]. A peça conta a história de uma mulher burguesa perseguida pela própria intolerância e consiste em uma colagem de falas polêmicas e preconceituosas, algumas delas ditas pelo presidente e seus aliados [2]. Por meio de decreto, Greca alega que o espaço seria usado pela Prefeitura nos mesmos dias do espetáculo [3]. O ator José Neto Barbosa, a estrela do monólogo, afirma que o cancelamento não tem explicação plausível, que a justificativa dada pelo prefeito é uma forma de acobertar uma opressão e ressalta que faz parte do processo democrático ‘ouvir também o que a gente não concorda’ [4]. O local de execução da peça é alterado para as Ruínas de São Francisco, um anfiteatro, e, na abertura do espetáculo, o público reage com vaias e xingamentos ao prefeito [5]. Vale lembrar que outras peças teatrais com posicionamentos políticos também foram canceladas, como ‘Caranguejo Overdrive’ [6], ‘Precisamos Matar o Presidente’ [7] e ‘Abrazo’ [8].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia mais sobre a peça ‘A Mulher Monstro’ e leia a análise sobre como a política de incentivos no setor cultural afeta as produções teatrais.

Festival de Curitiba: a intolerância em cena com 'A Mulher Monstro' Apagão cultural promovido por governo Bolsonaro não gerará produções teatrais autossuficientes