5 de Março de 2019

Bolsonaro critica música carnavalesca de Caetano e Daniela Mercury, fazendo alusão à Lei Rouanet

Bolsonaro critica música carnavalesca de Caetano Veloso e Daniela Mercury, afirmando que incentivos culturais não estarão disponíveis para artistas

Imagem: site folha.uol.com.br / reprodução

Imagem: site folha.uol.com.br / reprodução

Em suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro faz menção à letra de música carnavalesca dos artistas Caetano Veloso e Daniela Mercury, sem citar seus nomes, para criticá-los e afirma que ‘tem gente ficando doida sem a tal Lei Rouanet’ – em referência à política de incentivo cultural – e completa, ‘acabou a moleza (…) quem for brincar terá que brincar com seu dinheiro’ [1]. A música ‘Proibido Carnaval’ de Cetano e Daniela apresenta conteúdo crítico ao conservadorismo, especialmente com relação à liberdade sexual e à censura, desafiando declarações de membros do próprio governo, como a fala da ministra Damares Alves de que ‘menino veste azul e menina veste rosa’ [2]. Em resposta, Daniela Mercury publica carta aberta ao presidente afirmando ‘há uma distorção muito grave sobre a Lei Rouanet’ e uma incompreensão por parte de Bolsonaro sobre seu conteúdo; reitera também o valor ‘imensurável’ da arte ‘para a sociedade, para o turismo, para a economia’ [3]. O episódio marca uma série de outros ataques à produções culturais, como pedido de retirada de filme de festival internacional sobre a história de Chico Buarque [4], adiamento da estreia de produção cinematográfica sobre a vida do militante de esquerda Carlos Marighella [5], críticas à cineasta Petra Costa por seu documentário indicado ao Oscar [6], e recusa do Itamaraty em publicar livro de desafeto político do ministro das Relações Exteriores [7].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia análise sobre às críticas ao presidente durante o carnaval e suas reações

A reação de Bolsonaro em seu primeiro Carnaval como presidente