5 de Setembro de 2020

Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) critica humorista por parodiar secretário da Cultura

Imagem: perfil FB

Imagem: perfil FB

A Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) utiliza seu perfil oficial no twitter para criticar o humorista Marcelo Adnet [1]. A manifestação oficial ocorre após o ator divulgar uma paródia que criticou o tom ufanista [2] da campanha do governo federal ‘Heróis Brasileiros’, campanha que contou com a atuação do secretário de Cultura, Mario Frias – que aparece em uma sala escura observando esculturas de figuras brasileiras e fazendo citações do hino nacional [3]. A peça humorística conta com crítica de Frias, que reage chamando Adnet de ‘palhaço decadente’ e ‘bobão’ [4]. Dias depois, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirma que a resposta ao Adnet foi um erro [5]. Não é a primeira vez que o canal oficial da Secom, órgão chefiado por Fabio Wajngarten [6], é utilizado para atacar opositores; a diretora cinematográfica Petra Costa também já foi alvo de críticas [7]. Em maio de 2020, o mesmo canal fez postagens elogiosas à ditadura militar [8] e utilizou jargão nazista em campanha do governo federal sobre a pandemia [9]. No mês seguinte, ameaçou cartunista e jornalista após charge crítica ao governo [10].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Veja as análises sobre o caso específico e uso político da Secom pelo governo Bolsonaro

Ataque a Adnet por canal oficial do governo é mais um ensaio de ditadura Secom faz uso político de canal oficial e acumula ataques a desafetos