19 de Novembro de 2019

Secretário da Cultura afirma em discurso na UNESCO que arte brasileira favoreceu projeto da esquerda

Imagem: site Brasil247.com / Clara Angeleas-Secom

Imagem: site Brasil247.com / Clara Angeleas-Secom

Roberto Alvim, Secretário da Cultura recém nomeado, em reunião da UNESCO em Paris, afirma que a arte brasileira transformou-se ‘em um meio para escravizar a mentalidade do povo em nome de um violento projeto de poder esquerdista’ [1]. Em seu discurso, que chama a atenção de delegações estrangeiras, promete também criar ‘nova geração de artistas’ e retomar a ‘beleza’ nas obras de arte [2]. Essa não é a primeira vez que Alvim se manifesta contra a esquerda; meses antes de ser nomeado para o cargo, realizou postagens nas redes sociais com o objetivo de convocar ‘artistas de teatros conservadores’, e atacou a atriz Fernanda Montenegro por críticas realizadas ao governo Bolsonaro e a censuras na cultura [3] [4]. Em 16/01/2020, o Secretário lança vídeo com referências nazistas, o que gera forte reação da sociedade civil e que culmina em sua demissão [5].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia análises sobre a conformação da Secretaria de Cultura sob Alvim e seu perfil, as controvérsias envolvendo o Secretário ao longo de sua carreira no governo Bolsonaro e censuras e outras polêmicas na pasta de cultura em 2019.

Quem é o novo secretário de Cultura. E as mudanças na pasta Relembre as crises de Roberto Alvim, secretário da Cultura que parafraseou Goebbels 2019: Censuras e nomeações polêmicas marcaram a relação entre o governo federal e o setor cultural