25 de Maio de 2020

Fundação Palmares anuncia lançamento de selo ‘não racista’ para pessoas ‘tachadas de racistas’

De acordo com Sérgio Camargo, o selo seria dado à 'vítima de campanha de difamação e execração pública da esquerda' no intuito de 'restaurar a reputação de pessoas' que foram 'tachadas de racistas'

A Fundação Palmares, presidida por Sérgio Camargo, anuncia a decisão de lançar o selo ‘não racista’ [1]. Camargo publica em suas redes sociais que o selo seria um certificado de que a pessoa não seria racista, mas ‘vítima de campanha de difamação e execração pública da esquerda’, servindo para ‘restaurar a reputação de pessoas’ que foram ‘tachadas de racistas’ [2]. A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão no Estado do Rio de Janeiro, braço do Ministério Público Federal, determina a instauração de procedimento para apurar a existência de desvio de finalidade na criação do selo [3], que conta com ampla reprovação do movimento negro [4]. Posteriormente, vem a público que a Fundação jamais deu início ao projeto [5]. Dias antes, o presidente da Fundação também havia chamado a atenção por ironizar símbolo do movimento negro em data comemorativa [6] e dar declarações contra o movimento [7].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia as análises sobre o racismo estrutural e sobre a relação entre o presidente da Fundação Palmares e Bolsonaro

O direito de respirar em um mundo racista Fundação Palmares: a negação do racismo e o discurso de Bolsonaro