Ouro Preto, 21 de Abril de 2019

Guarda Municipal destrói tapete de serragem em homenagem à ex vereadora Marielle Franco

Imagem: http://censuranaarte.nonada.com.br (Foto: Reprodução)

Durante a Semana Santa, um guarda municipal pisoteia e destrói um tapete de serragens em homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada em março de 2018 [1]. Em vídeo do acontecimento, pessoas aparecem criticando a atitude do guarda e gritam ‘Marielle vive’ [2]. A confecção dos tapetes de serragem é uma tradição e tem o objetivo de enfeitar a Procissão da Ressureição no domingo de Páscoa [3]. É o segundo ano consecutivo que a destruição do tapete de Marielle ocorre; em 2018, um agente da Guarda Municipal também pisoteou a produção com os pés por orientação da prefeitura e da paróquia [4]. A prefeitura de Ouro Preto informa que todos os tapetes que não tinham cunho devocional foram apagados, não apenas aquele que homenageava a ex-vereadora [5]. Em nota, a Guarda Municipal afirma que os agentes desmancharam ‘desenhos de cunho político, entre outros, que nenhuma relação possuem com os tapetes devocionais’ e que ‘a liberdade de expressão não é absoluta ainda mais quando outros direitos estão sendo afetados. O recado já foi dado em 2018, em 2019 não foi diferente. Respeitem Ouro Preto, nossas tradições.’ [6]. A Guarda também afirma que os agentes apenas desmancharam o tapete com os pés porque não tinham outro instrumento [7]. Em outros momentos, embaixador brasileiro boicota evento que homenageava Marielle Franco em Paris [8] e funcionários da EBC afirmam que estão proibidos de mencionar a ex-vereadora em programa [9].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia mais sobre a trajetória de Marielle Franco e sobre a investigação de seu assassinato.

Três anos sem respostas: a morte de Marielle e seu legado 1.000 dias sem Marielle: os reflexos de um crime sem solução