São Paulo, 13 de Junho de 2020

Associação da PM requer esclarecimento criminal contra cartunistas e Folha por crítica à corporação

Associação de policiais militares de São Paulo apresenta pedido de esclarecimento criminal contra cartunistas e o jornal Folha de São Paulo por charges críticas à violência policial

Imagem Twitter @folha

Imagem Twitter @folha

Associação de Oficiais Militares do Estado de São Paulo em Defesa da Polícia Militar (Defenda PM) apresenta pedido de esclarecimento criminal contra o jornal Folha de São Paulo e quatro cartunistas (Laerte, Alberto Benett, Jão Montanaro e Claudio Mor) por charges criticando a violência policial [1]. Feito sob a forma de notificação extrajudicial, o pedido pode se tornar um processo penal [2]. As charges [3] tratam da violência policial no contexto de ação da Polícia Militar (PM) em Paraisópolis [4] que culminou na morte de nove jovens em dezembro de 2019 [5]. Ainda, segundo apuração da imprensa, a Defenda PM seria uma entidade composta por policiais conservadores e de maioria bolsonarista [6] em contexto de crescente politização da corporação [7]. Entidades internacionais apoiam os cartunistas [8]. Ainda no mês de junho, outro episódio correlato acontece: a Advocacia-Geral da União (AGU) solicita abertura de inquérito por causa de cartum contra Jair Bolsonaro [9]. Em 19/10, uma das charges questionadas pela Defenda PM – a charge ‘infernópolis’, desenhada pela cartunista Laerte – é reconhecida como ‘a melhor arte’ da 42º edição do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos [10].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia análises sobre censura às charges e charges e liberdade de expressão

Censura e as charges da vida Charge que relaciona Bolsonaro a nazismo é liberdade de expressão, dizem juristas