15 de Julho de 2021

Secretario especial da Cultura faz comentário racista contra ativista nas redes sociais

Mario Frias comenta que historiador negro "precisa de um bom banho"

Nas redes sociais, o assessor da Presidência da República, Tércio Arnaud Thomaz, compartilha uma matéria com o título: ‘Jones Manoel diz que já comprou fogos para eventual morte de Bolsonaro’ e questionou quem era Jones Manoel – ao que o secretário especial da Cultura, Mario Frias, responde: ‘Não sei. Mas se soubesse diria que ele precisa de um bom banho’ [1]. O historiador e ativista negro Jones Manoel rebate o comentário afirmando: ‘Governo liberal-fascista de Bolsonaro é lotado de racistas, nazistas e tudo que não presta’ [2]. Após diversas críticas, Frias tenta justificar-se dizendo que a repercussão era uma forma de ‘ofuscar a gravidade dos ataques ao Presidente da República chamando de racista quem sempre repudiou o racismo’ e que ‘toda pessoa suja precisa tomar banho e não existe pessoa mais suja do que aquela que deseja e celebra a morte de um chefe de estado democraticamente’ [3]. O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, declara: ‘Entendem por que digo que a cor da pele não importa, assim como cabelo? O sujeito é preto, porém um lixo como ser humano. Não tem caráter nem decência moral’ [4]. Diversas personalidades saem em defesa do ativista, como os atores Gregório Duvivier e Bruno Gagliasso e as políticas Érika Hilton e Sâmia Bonfim [5]. Jones Manoel afirma que o comentário foi feito em um contexto de brincadeira e que avalia entrar na Justiça [6]. O Twitter apagou a publicação por ter violado as regras da plataforma [7]. Vale lembrar que o ex secretário da Cultura, Roberto Alvim, foi exonerado após publicar vídeo com referências nazistas [8], o presidente da Fundação Palmares defende que não há ‘racismo real’ no país [9] e deputado da base aliada de Bolsonaro quebra placa com charge que denuncia o genocídio da população negra [10]. Além disso, o próprio presidente já sugeriu que um apoiador seu negro, com cabelo black power, precisava de um banho [11].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia sobre a história do cabelo black power e como o presidente Jair Bolsonaro promove o racismo.

Movimento Black Power: as origens históricas da luta civil contra o racismo Bolsonaro expõe seu racismo, mais uma vez, ao debochar de cabelo black power