31 de Dezembro de 2021

Jair Bolsonaro e Mario Frias criticam Ivete Sangalo por posicionamento político

Além deles, o secretário de Fomento André Porciúncula diz que a cantora "resolveu virar animadora de militante petista"

O secretário especial da Cultura, Mario Frias, publica nas redes sociais que a cantora Ivete Sangalo ‘passou todos os anos de roubo generalizado petista, como meio de impor uma ideologia abominável, no mais absoluto silêncio’ e que hoje ‘presta-se ao ridículo papel de ser animadora de militante esquerdista, pois é escrava dos caprichos da elite artística arrogante’ [1]. O secretário de Incentivo e Fomento à Cultura, André Porciúncula, também critica a cantora dizendo que ‘passou a vida inteira caladinha enquanto o PT assaltava os cofres públicos para implementar uma ideologia doentia. Agora, ela resolveu virar animadora de militante petista’ [2]. As falas ocorrem em reação ao show realizado dias antes, no qual a cantora instigou o público a bradar contra o presidente da República [3]. Dias depois, ao comentar a nova medida anunciada por Porciúncula, que pretende reduzir em 50% o valor máximo de captação de recursos via Lei de Incentivo à Cultura (LIC) [4], o presidente Jair Bolsonaro critica a cantora Ivete Sangalo e o ator Zé de Abreu, que têm posições políticas contrárias às dele [5] [6]. Nas palavras do presidente, o governo quer que a LIC atenda ‘aquele artista que está começando a carreira, e não (…) figurões e figuronas, como a querida Ivete Sangalo. […] Ela tá chateada, o Zé de Abreu está chateado. Aquela teta deles gorda de pegar até R$ 10 milhões da Lei Rouanet e defender o presidente de plantão acabou’ [7]. Artistas e fãs reagem em defesa da cantora, que não é beneficiária da LIC [8], e subiram a hashtag ‘menos Bolsonaro, mais Ivete’ [9]. Apoiadores do presidente defendem, dentre eles, o deputado federal Diego Garcia, que escreve: ‘abstinência da Lei Rouanet leva Ivete Sangalo ao desespero. […] A mamata acabou’ [10]. Outros artistas já foram criticados pro autoridades do governo federal por suas posições políticas e produções, como a atriz Fernanda Montenegro [11], o ator Lázaro Ramos [12], a cineasta Petra Costa [13] e o diretor Wagner Moura [14].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia a análise sobre a falácia propagada pelo governo federal sobre os incentivos advindos da Lei de Incentivo à Cultura.

Postagens desinformam com 'mamata da Rouanet'

Fontes