20 de Fevereiro de 2022

Secretário de Incentivo e Fomento à Cultura gasta cerca de 20 mil reais em viagem

As reuniões realizadas na Câmara de Comércio Brasil-Califórnia e no consulado do Brasil buscavam tratar de questões relacionadas ao audiovisual.

Secretário de Incentivo e Fomento à Cultura, André Porciúncula, viaja para a cidade de Los Angeles (EUA) entre os dias 19 e 23 de janeiro para realizar duas reuniões, período no qual despendeu cerca de 20 mil reais dos cofres públicos, como apurado pela imprensa nesta data [1]. Os gastos podem ser triplicados, uma vez que o secretário viajou com mais dois assessores da pasta, Gustavo Torres (coordenador-geral de relações multilaterais do Ministério do Turismo) e Felipe Pedri (secretário do Audiovisual), no entanto, essa informação não foi fornecida pela Secretaria Especial de Cultura a despeito do requerimento da imprensa via Lei de Acesso à Informação (LAI) [2]. De acordo com a Secretaria, as despesas de Porciúncula consistiram em passagens aéreas na classe executiva e econômica no valor de 4.964 reais cada e diárias de 2.364 reais, totalizando 19.381 reais de gasto [3]. O objetivo da viagem era tratar de assuntos do audiovisual, mas, inicialmente, a viagem não contava com nenhum membro do setor audiovisual [4]. O secretário especial da Cultura, Mario Frias, estava confirmado para essa viagem, mas não compareceu pois testou positivo para covid-19 [5]. Nas redes sociais, as autoridades compartilharam fotos de uma reunião na Câmara de Comércio Brasil-Califórnia e no consulado do Brasil, nessa última compareceu o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL) que estava passeando de férias com a família [6]. Nas redes sociais, Pedri afirma que ‘entender melhor como os mecanismos deles são construídos é fundamental para que possamos perceber se a atual política do Audiovisual brasileiro é efetiva’ [7]. Em dezembro de 2021, Frias e o secretário-adjunto Hélio Ferraz viajaram para Nova Iorque com uma despesa próxima de 78 mil reais para discutir um projeto audiovisual com o lutador aposentado de jiu-jitsu Renzo Gracie [8]. Após esses casos, especula-se que Frias e Porciúncula serão exonerados da Secretaria [9]. Vale lembrar que a gestão Bolsonaro impulsionou o desmonte do setor audiovisual, colocando em risco o patrimônio público [10] [11], nomeando pessoas pouco qualificadas para cargos de chefia [12] [13] e promovendo a censura nas produções cinematográficas [14] [15].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Análises sobre o caso

Leia a análise sobre a atuação de André Porciúncula na Secretaria Especial de Cultura.

Ex-PM, olavista e braço direito de Frias: a trágica atuação de André Porciuncula

Fontes