8 de Fevereiro de 2022

Ministro do Turismo nomeia pessoa sem experiência para o cargo de secretário nacional de Economia Criativa e Diversidade Cultural

No lugar de um funcionário com perfil mais técnico, entra o monarquista Rafael Nogueira que relacionou Caetano Veloso com o analfabetismo, graduou-se em filosofia e direito com mestrado em educação e foi professor particular de humanidades e de redação para o Enem

Ministro do Turismo, Ciro Nogueira Lima Filho, nomeia [1] para o cargo de secretário nacional de Economia Criativa e Diversidade Cultural, o monarquista Rafael Nogueira Alves Tavares da Silva, que se declara seguidor das ideias do filósofo Olavo de Carvalho [2]. Silva ocupava o cargo de presidente da Biblioteca Nacional desde dezembro de 2019 [3] e, antes de assumir a posição, havia declarado que os ‘livros didáticos estão cheios de músicas de Caetano Veloso, Gabriel O Pensador, Legião Urbana. Depois não sabem por que está todo mundo analfabeto’ [4]. Ele é graduado em filosofia e direito com mestrado em educação, foi professor particular de humanidades e de redação para o Enem, além disso, é próximo da produtora Brasil Paralelo, referência na difusão de ideias de direita [5]. Seu antecessor, Aldo Luiz Valentim, tinha perfil mais técnico, trabalhou na Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e, enquanto secretário de Economia Criativa, foi responsável pela implementação da Lei Aldir Blanc e pela articulação internacional da Secretaria Especial de Cultura [6]. São diversas as nomeações de pessoas inexperientes para exercerem cargos no âmbito da Cultura durante o governo Bolsonaro, casos ocorreram na Fundação Casa de Rui Barbosa [7], no departamento de Empreendedorismo Cultural [8], na coordenação [9] e na presidência [10] da Funarte, na Fundação Palmares [11], na Secretaria Especial de Cultura [12], na presidência [13] do Iphan e nas superintendências [14] do Iphan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fontes